sexta-feira, 2 de novembro de 2007

Liberdade

Dá-me do mais puro fel Mas não tires de mim Minha liberdade Lança-me no esquecimento E no abismo mais alto do planeta Mas não tires de mim Minha liberdade Toca em minha face com violência e desprezo Mas não toques emMinha liberdade Tire de mim todas as minhas Posses terras jóias e posições sociais Mas não tires de mim Minha liberdadeDeixa-me para que eu Continue abrindo minhas asas Alçando vôos rumo ao horizonte E como um pássaro encantadoAprendendo a fazer historias e Ensinando todos a serem livres com pássaros Pois se tentarem me prender com Padrões sociais com grilhões ou lançar-meAo cárcere eu prefiro que mates o meu corpo Porque só assim eu conseguirei devolver à alma A minha liberdade