sábado, 3 de novembro de 2007

Quanto mais sociável, mais medíocre!

Como bem dizia Arthur Schopenhauer, o homem para ser sociável deve compartilhar da mediocridade dos outros. Não é à toa que quem não compartilha a mentalidade de rebanho está fora do sistema, pois o sistema é comandado pela MAIORIA. Por essa razão, muitas vezes eu me questiono se realmente a doença social que algumas pessoas carregam é realmete culpa de si mesmas, ou é uma questão meramente genética, química ou fisiológica... Não é possível viver saudável em um ambiete sórdido. Então, se você sofre de algum mal dos pulmões, deve abster-se do clima demasiado úmido; se sofre de alergia, deve manter-se longe de qualquer componente maléfico que coopere com a sua alergia; quem tem baixa imunidade, precisa evitar lugares propensos a vírus e bactérias. Outra questão, se vc é extremamente saudável e começa a viver em um ambiente insalubre, será que sua saúde se manterá intacta? Ou será que esse ambiente pode contribuir efetivamente com a causa de uma doença não-premeditada? Pois para se manter metalmente saudável em um ambiente degradante, é preciso ser epicurista, demasiadamente epicurista... No entanto, ainda tenho as minhas dúvidas com relação às lições de Epicuro. É extremamente difícil (se não impossível) viver com pregou o filósofo do bem estar individual. Pois como já dizia Aristóteles muito antes, "ser feliz é ser auto-suficiente". Não obstante, numa sociedade em que as relações interpessoais são cada vez mais inevitáveis, mais fatais, é praticamente impossível não depender de outrem; ora, a sociedade capitalista se desenvolveu justamente por essas interligações, pelas especializações de cada indivíduo em desempenhar determinada tarefa. Talvez em tempos mais longínquos, a total independência fosse um bem atingível. hoje em dia, no entanto, especialmete na posição de "proletariado" que depende de uma série de fatores externos a si mesmo para a sua sobrevivência, a empreitada pela felicidade no sentido de auto-suficiência não pode ser atingida; logo, como ser feliz em um mundo que não se tem domínio completo sobre ele? Será que Álvaro de Campos estava certo quando diz que "não há mendigo no mundo que eu não inveje só por não ser eu"? mas os mendigos dependem da caridade dos outos; os mendigo dependem do lixo dos outros... Enfim, eis o enigma que há de nos devorar enquanto não o desvendamos....