sexta-feira, 21 de dezembro de 2007

Ensaio de Kleber Kappodanno

É este momento de quietude, que vem em mente algo que esta além do limiar transcedente. O Transcedente absoluto, a "progenie". É nesta esfera neste ser que não existe esta tal coisa que chamamos de dual, tudo que estamos acostumados vem de uma idéia de dualidade, ou seja de pares de opostos. Sabemos o que é bom para mim, o que é bom para você, o que é certo, o que é errado , sabemos o que é ser, o que é não ser, o pecado este fator limitador; somos filósofos, reliosos, marxistas, ateu, judeu, protestante, hippie, beatnick, heavymetal, punk, buddista, sadomasoquista, rotulamos denominamos, criticamos e até "pensólogos" somos, queremos advinhar o que as outras pessoas estão pensando. Já se estudam máquinas para isto! Mas existe ai um quarto item, aquele do AUM, é o silêncio subjacente, o que os monges chamam de Imortal. Aqui esta o mortal alí o Imortal, não haveria este se não houvesse aquele. Na existência de cada individuo há uma diferenciação de mortal e imortal. Não sabemos como isto está na gente mas está. Porque não fazemos idéia de como sejam as coisas, nem sequer um átomo sabemos se é onda ou partícula. Por esta razão temos algo divino no interior. Existe uma fonte de energia transcedente. Um físico observa uma partícula subatômica, ele vê um traço na tela. Esses traços vêm e vão, vem e vão; nós vimos e vamos, vimos e vamos, acho que tudo que diz respeito à vida é assim vem e vai. A energia que modela todas as coisas. As outras coisas são apenas palavras, qualificações, limitações. O denominamos como deus que pra mim é uma palavra ambígua. É isto o transcendente absoluto, esta energia que transcende até o limiar não há dualidade, certo - errado, ele - ela, feio - belo; tudo é uma coisa só e uma coisa só é tudo, aquilo que não julga, e que não se pode pensar, porque o que é realmente bom não se pode pensar. E como estamos indo e vindo sempre, e a personalidade é justamente aquilo que a mônada de desfaz, eu diria a missão da vida é vive-lá. Como fazer? Acho que pode ser seguindo sua bem-aventurança, seu enlevo. Não sei como, mas há algo em você que diz quando você esta no seu centro, quando aquilo esta te fazendo bem ou já fez e se abandonar para levar uma vida de apenas ganhar dinheiro. Você terá perdido esta vida novamente.