segunda-feira, 24 de dezembro de 2007

Na desgraça, pensar em outros que são mais desgraçados, é o nosso maior consolo: é este o remédio eficaz ao alcance de todos.

Que pensamento mais cristão esse que apresentei como título, para variar, um citação de Schopenhauer. Sim, ter misericórdia do próximo que está pior que você faz com que você se esqueça um pouquinho de suas dores tão mesquihas e egoístas! Além disso, pensar no próximo, ter compaixão e tentar fazer um pouquinho para melhorar uma situação tenebrosa (e muitas vezes irremediável) do outro faz com que você se esqueça que as dores do mundo são muito mais acentuadas devido à injustiça cometida pelos nossos honoráveis déspotas, os quais elegemos nas eleições e que ficam no meio de uma situação lastimável: por cima, os grandes empresários, os banqueiros e magnatas; por baixo, os trabalhadores que sustentam essa pirâmide, e às mrgens, na perifera de tudo isso, os pobres marginais, os humilhados e ofendidos, os desempregados, aqueles que não cabem dentro dessa torre tão desproporcional. Pensar assim é a grade lástima da humanidade. Pensar que as dores do outro são piores que a minha faz com que eu não aja mais, causa inércia - tudo continua, de geração em geração a mesma merda de sempre...