domingo, 10 de fevereiro de 2008

Eu tenho um Coração Valente!

É preciso aprender a conviver: a viver com a dor, com a angústia e com o desamparo. Continuar a batalha, mesmo que seja sozinho. Vencer todos os males que nos cercam ou entregar-se completamente ao fracasso, ao descaso dos outros, à própria destruição. Devemos seguir adiante ou escolher a morte, pois o terceiro caminho é o mais cruel de todos: é ficar com dó de si mesmo e sofrer a dor mais lastimável e mais inútil que o ser humano pode ter. O egoísmo exagerado nos causa esse sentimento repugnante que é a dó de si mesmo. Aqueles que sentem dó de si mesmos são as pessoas mais miseráveis do mundo. Elas querem tudo para si mesmas e nunca pensam no próximo que precisa tanto delas. Eu não quero seguir esse caminho de ter dó de mim mesma, pois sei que algumas criaturas precisam de meu amparo. Eu sei como é duro precisar de ajuda e não tê-la de lado algum. Eu tenho passado por maus momentos me lamentando devido a minha necessidade de ajuda de outras pessoas que pouco ou nada se importam comigo. Então achei que eu não deveria mais lamentar e seguir a minha batalha sozinha. Não precisar da ajuda de ninguém é a conquista mais importante que um ser humano pode alcançar. Mas isso não quer dizer que ele não possa ajudar os outros. Muito pelo contrário: ajudar aqueles que nos amam e que precisam de nós nos dá força para suportar a pesada carga que é a vida. Nos fortalece tanto que acabamos por fechar os olhos para tudo aquilo que está errado na ordem do mundo. Ver o sorriso de agradecimento dessas pessoas as quais ajudamos é mais valioso que receber qualquer medalha de honra. É algo que nos engradec, que nos envaidece e ue pode nos tornar mais amáveis. Eu penso no mundo lá fora e sei que ele est´todo errado, mas eu cansei de me lamentar por uma coisa a qual eu jamais conseguirei consertar, logo decidi seguir os conselhos da psicologia e tentar mudar o que eu posso mudar, aquilo que está ao meu alcance: aminha própria mente, a minha própria forma de pensar. Cansei de me sentir uma vítima do mundo, uma grande injustiçada. Agora penso que vou fazer tudo qu eu puder para melhorar o meu cotidiano, o meu dia a dia. Vou ajudar aqueles que amo e que precisam de mim. Vou principalmente ajudar a mim mesma arrancando lá do fundo do coração o sentimento de dó que sentia por mim mesma e substituí-lo por um sentimento de força, de que eu sou capaz, de que eu vou conseguir provar para o mundo e para mim mesma que eu sou uma pessoa do bem, uma pessoa de bem, alguém com princípios e convicções fortes. Quero provar para mim mesma que eu não sou uma pobre infeliz, mas que eu sou um ser humano que batalha, que sabe reconhecer os erros do mundo e não é conivente com eles, entretanto sabe que é impossível mudar a ordem caótica do que já está estabelecido desde o surgimento da humanidade. Não quero ser mais uma derrotada da vida. Não quero morrer numa cama chorando por minhas próprias desgrças. Vou levantar e ser útil. E não vou deixar NUNCA que ninguém faça algum mal contra mim. EU NÃO ME PERMITO!!!! Chega de sofrer por nada! Chega de deixar os outros me ferirem. Cansei!