quarta-feira, 27 de fevereiro de 2008

Fale na cara!

Estive muito cansada ultimamente. Vi muitas construções sólidas virarem pó. Vi a verdadeira face de pessoas que sempre se esconderam por trás de máscaras. Vi o mundo desmoronar. Vi catedrais imensas pegar fogo. Vi pássaros abandonando seus ninhos. Vi também os muros caírem e serem reconstruídos, dessa vez, com mais solidez, para não permitir de forma alguma que os outros possam observar. Enfim decobri coisas as quais deveriam ficar em segredo. Vi uma realidade a qual não deveria ter enxergado. E depois de ver tudo isso, eu cheguei ao ponto de esgotamento: eu realmente cansei. Estou em uma fase de Tolerância Zero! Falei coisas que não deveria falar. Maltratei pessoas que mereciam ser maltratadas, sem dó e nem piedade. Falei na cara tudo o que sempre oprimi para não magoar ninguém. Mas do que vale, afinal, guardar e guardar mágoas e rancores e inconformidades? As pessoas falam umas das outras por trás e isso é considerado algo correto, algo comum. Mas quando alguém se atreve a dizer o que pensa do outro na cara dele, aí a coisa muda. O clima se torna pesado, o tempo fecha. Os olhos que encaramos de frente tendem a fugir de nossa companhia. Foi o que aconteceu comigo. Eu simplesmente falei coisas às pessoas que eu não acharia certo falar por trás delas. Todas elas se ofenderam (diz um ditado que a verdade doi). Permaneci, enfim no conforto de minha solidão. Mas ainda inconformada com a falsidade descarada das pessoas que habitam esse mundo infeliz! Então quer dizer que falar por trás pode? Ninguém se ofende? Ah, eu acho que depois dessa eu vou me deitar e dormir... cansei mesmo, as energias se esgotaram... que absurdo!