domingo, 13 de abril de 2008

Não se deve temer as críticas

Não devemos temer as críticas: devemos ouvi-las, selecioná-las e utilizar o melhor delas para o nosso auto-crescimento. Tememos sempre ser criticados. Uma crítica é sempre um golpe em nosso ego. Mas como preferimos elogios falsos à críticas construtivas! Um elogio falso faz com que nos estagnemos no lugar onde estamos. Uma boa crítica nos faz observar um caminho adiante que poderemos seguir. Mas o homem esclarecido sabe quais julgamentos são válidos e quais são descartáveis. Um homem seguro de si mesmo jamais se afeta com qualquer tipo de opinião, pois ele sabe o seu valor e sabe o que pode selecionar. Ele raciocina, faz seus julgamentos críticos e comprova a validade de qualquer crítica que receba. Obviamente existem críticos que na verdade são pessoas invejosas, venenosas e destrutivas, que julgam com o intuito de desmerecer o outro, fazer com que ele se julgue inferior. Entretanto há um outro tipo de crítico: aquele que tem uma vivência abrangente e sabe aconselhar devidamente, sabe apontar os defeitos do outro para que ele os melhore e se torne uma pessoa cada vez melhor. Lembro-me de minha primeira pós-graduação: uma professora, muito séria e rígida, nos pediu uma resenha crítica sobre um determinado texto. A maioria dos alunos fez um resumo, inclusive eu o fiz também. Lembro-me das críticas acirradas com as quais essa professora nos aferiu. Lembro-me também, que no dia seguinte, metade dos alunos haviam desistido do curso. Encontrei alguns que alegaram que a professora estava errada, que eles estavam certos. Fugiram por covardia, isso é certo. A crítica é uma grande oportunidade para o aperfeiçoamento de si mesmo. No entanto, muitos de nós ainda resistimos fortemente contra os juízos que nos aferrenham. O importante mesmo nessa história é saber separar o joio do trigo: crítica, de acordo com o Dicionário Houaiss de Sinônimos significa: análise, apreciação, avaliação, julgamento e parecer. Mas também significa: censura, condenação, desaprovação e maldizer. Devemos, pois, saber analisar cada uma das críticas que nos é direcionada, tendo em mente as intenções de nossos críticos que podem agir de formas distintas: tanto em função de nos depreciar como com o intuito de nos melhorar.