segunda-feira, 24 de novembro de 2008

Trinta

Por que ainda dói tanto, se eu já tenho trinta anos? Por que dói tando se eu só tenho trinta anos? Oh idade ingrata, não sou nem criança e nem adulta. minha alma é velha e ainda choro como um infante! oh idade ingrata! Eu que já tenho trinta anos! Eu que só tenho trinta anos! Insisto em buscar o nada, o vazio e o silênco absolutos. Persisto em buscar um significado para tudo aquilo que já foi e tudo aquilo que ainda vai ser. Sinto-me no limiar, na passagem secreta que dará para um lugar onde os sonhos se transformarão em pesadelos. Sinto-me encaixotada, enjaulada, acorrentada, andando sob o fio da navalha. Vagando pela beira do abismo, no limite do precipício, caminhando lentamente pela estrada do nada, sem fim... E a perspectiva? e os sonhos que um dia sonhei? e as bonecas que joguei fora? e as louças todas quebradas? o que será de mim?Oh idade ingrata, não sou velha e não sou nova, eu só tenho trinta anos. Eu tenho trinta anos.