sexta-feira, 13 de março de 2009

Julgamento

Sei que, de vez em quando, sou uma pessoa rude, às vezes grossa e impulsiva, pois não penso muito para falar. Já ofendi muita gente, mas também já fui muito ofendida. Talvez esse meu jeito de ser na verdade seja um mecanismo de defesa, pois por dentro sou uma pessoa muito frágil e sensível. As pessoas costumam julgar mal, parcialmente as outras, levando em consideração apenas aquilo que elas veem ou querem ver, não levam em conta o que há por trás de toda a aparência. Quem julga está sempre avaliando algo de acordo com seu próprio ponto de vista. É interessante pensar na etimologia da palavra 'julgar'. Ela tem a mesma raíz da palavra juízo, que significa conceito e opinião, que muitas vezes são errôneos. Julgar significa sentenciar, e uma sentença sem fundamento é sempre uma ofensa. Quem é constantemente ofendido, acaba se tornando um ofensor. Eis a razão pela qual muitas vezes faço determinadas coisas que são muito mal interpretadas. Os juízos de cada um de nós são sempre diferentes uns dos outros, e enquanto nós não soubermos respeitar a individualidade alheia, viveremos em constante pé de guerra.
F. R. Dias