segunda-feira, 27 de julho de 2009

Por quê?

É inconcebível essa distância, esse desprezo, essa indiferença. às vezes me sinto triste, culpada, incapaz... a única coisa que eu preciso saber é por quê. Sou tão horrível, tão imunda, tão pobre, tão asquerosa? Dói, lá no fundo, dói. Não quero ser vítima, mas a vida insiste em me castigar diante de tudo que chego perto. Perdi a minha paz de espírito, vivo atormentada, à base de remédios pesados, já tentei me matar e não tenho coragem... Mas eu não tenho mais nada, não tenho ninguém... só tenho a mim mesma... não tenho arte, não tenho talento, não tenho beleza física. Estou aprisionada aqui, no subsolo. Sou escrava de minha inteligência insaciável. Escrava da minha condição, de meus sonhos e meus desejos. Gostaria de saber como sair desse esgoto. Já me disseram isso e aquilo, já tentei o estoicismo, o epicurismo, o niilismo, tantos ismos e ismos sem fim. Mas a minha alma é lânguida e inerme... sou um corpo desprovida de alma, um verme. Mas sou melhor que você. Melhor a partir de que ponto de vista? o que é ser melhor? Não! Sou pior! Pois tenho dentro de mim sentimentos e sentimentos de amor próprio, de dor, de angústia! Sofro! Sou incapaz de ajudar alguém, pois nunca ninguém pôde me ajudar, e dessa maneira, vou seguindo nesse círculo sem fim.