segunda-feira, 21 de dezembro de 2009

O enexplicável prazer da dor.

Sou uma pessoa tortuosamente atrelada à dor. Não me perguntem por que. Não julguem, não discriminem. Se algumas pessoas sentem prazer em menosprezar os outros, outras sentem prazer em ajudar quem necessita, existem aquelas que estão diretamente ligados à auto-destruição e ao prazer inevitável do auto-flagelo. Não é um vício, nem uma escolha - é uma personalidade. Quem já leu o velho Freud sabe que esse "gosto" ou melhor. essa disposição em se auto punir, seja física ou psiquicamente, é o fruto de certas situações desencadeadas pela pulsão de morte voltada a si mesmo.

O que acho mais interessante é a voracidade que certas pessoas tem ao atacar as vítimas do próprio vitimismo (é assim qu me concebo- uma vítima do meu próprio vitimismo cruel). O que será que elas criticam? a sua própria pusão camuflada? O mede de se contaminarem dessa vontade de dor? Não consigo entender...

O ser humano é uma máquina de julgamneto. Todos querem apontar na cara um do outro um erro, um comportameto "desviado", uma atitude que considerem anormal... Vítimas do medo! Sim são pessoas que perseguem nos outros aquilo que mais temem! Uma verdadeira caça às bruxas!!!!


É inevitável mencionar uma famosa frase de Shakespearse: "Todo mundo é capaz de dominar uma dor, menos aquele que a sente". Esse pensamento resume toda essa contradição que nós seres humanos estamos inevitavelmente acorrentados. Sentir dor não é opção, não é escolha, não é destino, sina... é a própria essênci da existência! E como sofrer me eleva!!! E quanto mais me elevo, mais distante me torno aos olhos daqueles que não sabem voar!

F.R.D.