sábado, 6 de fevereiro de 2010

Look what your god has done to me...


A minha vontade era pegar todos aqueles que acreditam em deus e jogá-los na fogueira... 

Olha o que o deus de vocês fez com os seres humanos que vocês acham inferiores: colocou em lugares onde o solo é infértil, ou em lugares onde a terra é fértil e rica e mandaram os Seus servos arrancarem cada gota de riqueza de lá. o seu Deus mandou que algumas pessoas nacessem na china, na índia ou na etiópia  ou no nordeste brasileiro, ou em zonas terríveis de São Paulo, não para viverem, apenas existir e sofrer com a fome, a miséria e a dor. Seu Deus criou a morte, a pestilência, as doenças, a fome e fez com que suas criaturas vivessem em meios sub-humanos, e mesmo assim, esse mesmo Deus lhes deu uma coisa chamada instinto de vida para que todas essas criaturas não tirassem suas vidas na primeira oportunidade. 

O Seu Deus criou então muito mais homens injustos e poderosos do que justos. E criou bilhões e bilhões de coitados que só servem para trabalhar para esses homens injustos e gananciosos e para eles fazer fortunas, enquanto o resto do mundo passa por apertos tremendos.

Então seu Deus mandou alguém criar uma coisa blasfêmica que é a igreja, onde algumas pessoas desprovidas de cérebro se reúnem para louvar odos os sábados ou domingos a Sua injustiça gloriosa.

E agora ouço um ruidinho terrível em meus ouvidos, um ruidinho de alguns serse que nem consideraria humanos, pois até para ser humano deve-se ter alguns padrões éticos mínimos, e esses serezinos andam dizendo que as catástrofes que estamos enfrentando nos dias de hoje são uma "limpeza" no planeta. Deus, com sua onipotência e justiça divinas está limpando o planeta, exterminando mais uma vez pessoas inocentes em terremotos, enchentes, calor excessivo, ou qualquer outra catástrofe... O que mais poderia dizer? Se não estivesse com a cabeça cheia de remédios, eu provavelmente diria mais, muito mais... mas preciso de calmantes, do contráro sairia gritando nas ruas como uma louca e logo seria presa por qualquer motivo que conviesse a vizinhança denunciar-me...