sábado, 27 de fevereiro de 2010

Sou um ser realmente estranho


É inegavel. Sou realmente uma criatura estranha. Para alguns, estranho significa "louco", "neurótico", "anti-social"... para outros, pode significar "arrogância" ou petulância". Mas o que realmente importa é o que eu sinto que sou, a minha verdade - uma criatura estranha. Alguém que está sempre em confronto com o mundo, tanto o meu mundo interior como o exterior. É interessante pensar que certas escolhas de minha vida tenham me levado a caminhos tão fora do que um dia imaginei para mim. Sempre fui contestadora, revoltada com causas sociais... mas de alguns tempos para cá venho me tornando uma ostra, olhando apenas o abismo que há dentro de mim mesma.

Hoje sei que não tenho talento para nada na vida. Escrevo apenas para aliviar minhas dores e muitas vezes saber de outros seres anormais como eu... tenho obtido respostas fantásticas para minhas postagens, e isso me deixa de certa forma "egoistamente" aliviada, pois sei que não sou a única bizarra do mundo rs... Enfim, ando nesses últimos dias muito mais estranha do que sempre fui. Agora dei de me pegar sendo rude com as pessoas ou fazendo alguma piadinha de mau gosto... ando pavio curto, tolerância zerto! Até xinguei umas moças que passavam na rua falando alto e rindo as duas da manhã!!!! Que absurdo! Vai atormentar o capeta no inferno suas putas! eu gritei da minha janela, e o mais interessante é que ninguém ousou me xingar de volta (provavelmente pensaram que eu era alguma louca rs!). Eu me senti toda onipotente!!! acho que vou fazer isso mais vezes, dá uma falsa sensação de segurança, de força! Por isso digo que sou estranha. Mas julguem como quiserem, louca, maluca, arrogante, estúpida... do que se valem os rótulos afinal?