segunda-feira, 5 de julho de 2010

As coisas mais mesquinhas enchem de orgulho os indivíduos baixos. William Shakespeare


Gostaria de saber por que a tendência geral das pessoas é julgar as outras, rotulá-las de malditas, desgraçadas, infames... Também gostaria de entender qual é o prazer macabro de "se fazer de bonzinho tentando aconselhar os outros". Talvez a frase de Shakespeare aqui utilizada como título explique uma parte. A base do esclarecimento é a tolerância, e o que as religiões do mundo, os berços de toda a ignorância, nos tem mostrado ao longo dos séculos é uma intolerância brutal, uma busca incessante pelo poder, pela vitória, conquista e honra!

No final das contas, todos irão morrer e apodrecer da mesma maneira, e se houvesse realmente um tal de deus, o reino dele seria dos ateus, pois como são ordinárias as atitudes de crentes! Como são falsos, dissimulados, mesquinhos e além de tudo isso (na verdade todo humano é assim, características da espécie.) ainda querem se intrometer na vida alheia, jogando na cara das pessoas que elas têm dois olhos, dois braços, um cu! Que porra é essa? Do que importa ter tantas coisas e saber que nada vale a pena?

Por que os seres humanos não se concentram em suas próprias vidinhas medíocres e deixam que nós, ateus, apodreçamos? Se você não têm o que quer, e quer o que o outro tem, transforme essa energia de inveja em algo construtivo para si mesmo, vá trabalhar, vá cuidar de mendigos, crianças com câncer! Canalize seus sentimentos para o bem, já que acha que deus está lhe esperando de braços abertos! Mas se continuar tentando, a toda maneira fazer do outro seu alvo de injúrias, o capeta vai  receber você de braços bem abertos! Alguém aí conhece um exorcista para tirar esses demônios da minha vida?