quarta-feira, 28 de julho de 2010

Crenças

Como pode uma criança crescer sabendo que é motivo de desgraça da mãe, o pai sumiu, a rejeitou e, mais tarde, essa criança, já adulta, descobre que até aborto ela foi possibilidade; como deve ser a mente de uma criança assim? Assim, que além de tudo teve de crescer na casa de pessoas que a desprezavam, que a humilhavam e ofendiam o tempo todo - ora falavam mal de seus cabelos, hora de sua cor, ora de suas pernas finas... depois falavam de seu extremo amu gosto para se vestir, sua educação mal-formada, seus dentes que cresceram tortos. Essa criança tinha uma alma protetora sim, tinha alguém que fazia por ela o que pudesse  e o que não pudesse, mas mesmo assim, ela foi crescendo e criando crenças sobre si mesma - sobre sua feiura, sobre seu mau-gosto, sobre seu jeito de ser... Essa criança foi rejeitada de duas formas: uma silenciosa, a outra muito barulhenta.

Essa criança cresceu querendo provar a si mesma e ao mundo que não era bem assim, que ela tinha algum valor, alguma beleza (que fossem apenas os olhos), que havia dentro dela um potencial de inteligência maior do que aqueles que a humilharam.

Bem, cresceu e tebtou tudo isso, mas hoje continua a ouvir os ecos da sua inutilidade perante o mundo, e desses ecos, esdendeu-se a sua concepção de vida: ninguém tem valor algum, pó ao pó como dizem os bíblicos. Somente o pó restará! Então, para que tanto investimento de tempo, de leitura de tentativas de mostrar seu bom gosto???? Nada disso valeu pena, e nunca valerá!

Essa criança deve dormir e despertar o adulto rebelde? ou essa criança nem deveria nunca ter nascido? que o aborto fosse concretizado! Por que maldição não se realizou esse aborto? Eu não teria coragem de abortar um feto, não por questões morais, religiosas, etc... mas pela ordem da natureza. No final das contas, quem sabe essa criatura não queira viver? É o que estou percebendo nos olhos de minha criatura, diferente de minha postura, parece-me que não nascceu com a maldição genética de minha parte, além disso, não tem sido humilhado e nem ofendido por ninguém. Pois caros leitores, como advinhar se a jornada de uma vida que nasce será boa ou ruim?