quarta-feira, 28 de julho de 2010

O fracasso é a morte social do indivíduo


Ao ler o blog de um de nossos colegas daqui, que cersava sobre o fracasso, pensei nessa frase a qual serviu-me de título para esse pequeno post. Já repararam como os "fracassados" os "Mal- sucedidos", os desempregados e os mendigos (já chutando de vez o pau da barraca) são criaturas desprezadas? Criaturas sem valor, criaturas ignoradas??? Pois é, o fracasso é a morte do indivíduo social. E uma morte muito ingrata, pois além de você estar materialmente vivo, respirando, vendo, ainda tem que escutar as frases de escárnio alheios. Sou uma fracassada, a vida inteira fui, mas tive de me disfarçar de heroína, de leoa por muito temo. Hoje, em casa, eu posso ser quem sou, e isso me deixa um pouco menos frustrada. Meus recursos logo se acabarão e terei de, novamente pregar uma máscara à cara, mergulhar meu cadáver em formol para poder caçar o meu pão. Lamentável...

Eu levo tantos nomes trabalhando duro, imaginem o que não tenho que ouvir por estar desempregada e passar por cima de tudo e de todos ao querer me manter dessa forma até onde der. Preguiçosa, vagabunda, folgada... Ah, como me soam bem esses adjetibos todos! Como queria ser realmente uma folgada e dormir o dia todo com sono natural, acordar sem preocupações, sem tédio, sem tristeza... Seria-me uma "subida de posto" na vida...