segunda-feira, 19 de julho de 2010

O Silêncio que não cala


Se você tem sapatos, amigos e beleza física, logo você é feliz, verdade? Se você expõe sua vida a público, deves saber que ninguém lhe trará flores, ninguém se consternará com sua "dor", aflições e angústias. Não! Você descobrirá quem são seus algozes, os falsos, os impuros e os invejosos. Mas existe algo muito mais decente ao publicar os tormentos de sua alma: você descobrirá na multidão alguns poucos companheiros de tormento. Alguns pensadores que vivem a esquiva, pois nesse mundo não há lugar para eles... Você descobre que não está só, que tem ao seu lado anjos e demônios. (preciso falar que é metáfórico, né? quem sabe um dia eles aprendem!)

Não me arrependo de nenhuma palavra publicada aqui, nenhum texto, nenhuma crítica, pois tudo que escrevi foi verdadeiro, ao menos do meu ponto de vista (olha o ego se auto-afirmando novamente, e o superego censurando!!!!). Cada sentimento, cada instante meus aqui foram legítimos, do fundo de minha anima (quase morta).

Descobri nesse contexto virtual que sempre existirão os anônimos que querem a todo custo acabar com você, silenciar a sua voz. Existem aqueles que, por curiosiade entram, escrevem qualquer asneira e nunca mais aparecem. E aqueles com os quais nos identificamos de forma tão graciosa, por mais que nossas "filosofias baratas" sejam distintas. E por esses cujas filosofias me fazem uma pessoa melhor é que sei que não devo silenciar minha voz, aliás, devo gritar até que meus ouvidos não mais suportem!

O mundo virtual pouco se difere do mundo real. Mas aqui eu não vejo ninguém me pedindo moeda no farol, ninguém pedindo comida a minha porta e ninguém querendo puxar meu tapete para eu perder meu emprego. Na verdade as pessoas são fantoches, meros fantoches! Quem puxou meu tapete não sabia o bem que fez para mim, pois agora darei um novo segmento a minha vida. Talvez eu fique na miséria, tenha que pedir moedas na rua, mas com alguns anos nesse mundo real em que vivi aprendi muita coisa, e delas não me orgulho nem um pouco!

No mundo virtual tenho descoberto coisas fantásticas, pessoas cujos rostos não vejo, mas que conversam com a minha "alma" (esse sopro de vida que ainda me resta). E qual o meu interesse nisso tudo? dividir, somar, multiplicar... coisas que nenhuma matemática me ensinou. Dividir dores, somar e multiplicar cosmovisões. E muito mais importante - subtrair. Extirpar os venenosos, febris e dementes! Na verdade, beber uma pequena dose de seus venenos... dando, assim, forma à minha rebeldia! Alguns sei bem quem são, estão no meu circuito (embora hoje eu não esteja mais em circuito algum).... Querem saber? para suas infelicidades eu não vou morrer tão cedo, não vou deixar de comprar sapatos e nem parar de escrever o que bem entendo! Só aqui sou livre! Ditadores, essa minha liberdade não poderão nunca me tirar! ahahahhahah

Devo assumir que não sou feliz, mas ninguém é feliz, cada um com seus problemas... acho que a inveja deve ser um sofrimento e tanto e não, não queria estar debaixo da pele de certas figuras nem por cinco segundos! que nojo!

Assim, caros amigos e inimigos, eu seguirei orgulhosamente o meu rumo, e continuarei a escrever, algumas pausas são certas, mas o silêncio que vocês tanto querem jamais! Para tê-lo basta sumir!

Abraços Fraternos!