quarta-feira, 4 de agosto de 2010

Um pouco de saliva cotidiana

Após um mês de marasmo, voltei a estudar. Já que não tenho mais emprego e estou querendo evitar arranjar um tão cedo, resolvi tentar como aluna especial de doutorado. Pois bem, minhas aulas começaram ontem, terça-feira. E como algumas coisas me irritam. Eu deveria estar no mínimo satisfeita, mas a saliva cotidiana me irrita. Essas conversinhas sobre o tempo, sobre a chuva, sobre isto e aquilo... Não sabia que tinha chegado a tal ponto. Eu me recordo da época em que trabalhava e evitava estar com as pessoas. Eu tinha alguns amigos selecionados, aqueles com os quais vc consegue manter um diálogo razoável, reflexivo... As aulas estão extremamente legais, o que me irrita são as entrelinhas para eu chegar até a sala de aula e sair dela... Meus colegas de classe são bem reservados, quanto a isso não tenho problemas também, apesar de, às vezes ter de ouvir algumas perguntas inconvenientes na sala de aula... Enfim, o bom dia que tenho que dar aos outros, o tal sorriso forçado estão agora me torturando absurdamente.

E a minha vida social? ah, sim, essa questão é terrível. Tenho saído de vez em quando, encontrado alguns amigos das antigas, mas eu me sinto tão longe de tudo e de todos... eu me sinto tão estranha que confesso ter de levar na bolsa um calmantezinho, pois às vezes o pânico começa a querer me pegar. Gostaria de entender, não sei se sinto medo, ou se alguma falha cerebral me levam a um estado de angústia absurdo quando estou na companhia de pessoas. Eu me sinto bem aqui em casa, sozinha, com o som ligado. Saio de minha toca e o mundo vira uma ameaça constante. Será depressão novamente? Pânico? Borderline? Quero uma definição para essa intolerância à saliva cotidiana.