quarta-feira, 8 de setembro de 2010

O homem revoltado não exige a vida, mas as razões da vida ((Camus)


Percebo nitidamente que faço parte de uma ordem social, política e religiosa que, querendo eu ou não, rege minha vida em vários sentidos. No entanto, apesar de já ter lido tantas coisas a respeito, ainda não consigo assimilar essa coisa enorme e grotesca. Se vivêssemos em um formigueiro, saberia o que comanda tudo, além da "programação" genética, há o que se pode chamar de ordem maior: a formiga rainha. Todas as outras formigas trabalham em prol desta que lhes garantirá a preservação da espécie. Mas em um mundo tão complexo, tão cheio de abstrações e teorias, é difícil chegar a um diagnóstico preciso: Qual é a razão toda para isto? a de garantir a sobrevivência da espécie como as formigas? E então por que somos dotados de razão? seria muito mais simples se fossemos apenas formigas, sem sentimentos, sem "rebeldias", sem contradição. Fazer o seu papel e ponto. Por que afinal seguimos cegamente essa ordem pré-estabelecida que não sei do que chamas, de política, de sociedade, de capitalismo, enfim, não sei mesmo do que chamar. Seríamos tão menos infelizes se não fossemos "dotados" de inteligência...