quinta-feira, 23 de setembro de 2010

Observar é preciso.


Já repararam que existem pessoas ao nosso redor que são incapazes de prestar atenção nas palavras alheias? Pessoas que só se preocupam em falar e falar, na verdade o verbo mais apropriado seria TAGARELAR. E o mais incrível é que essas tagarelas não nos acrescentam nada de especial, elas só dizem o óbvio, só julgam sem fundamentos mais densos, só riem das desgraças alheias, como se as desgraças lhe fossem algo alheio. 

E, às vezes, é inevitável ter de ouví-las. Já me aconteceu diversas vezes de estar numa situação como essas e não ter para onde fugir, então comecei a observar. Sim, hoje em dia gosto de observar os seres humanos, como se eu fosse um cientista que observa ratos em suas gaiolas. Tal comparação não é, em nenhum momento, intencionalmente para atingir egos feridos. É apenas uma metáfora, não consegui pensar rápido em outra no momento. Ao observar cheguei a conclusões não definitivas (partindo-se do princípio de que não existem verdades absolutas), conclusões relativas acerca da humanidade em geral. Já comentei isso também em alguns posts mais antigos, e disse que todos eram doentes. Uns mais cientes outros menos de suas lástimas.

O doente "consciente" é o que mais sofre. pois sabe de suas fraquesas e tenta controlá-las, sendo que nem sempre isso é possível. Meu vício por sapatos tão orgulhosamente ostentado por mim durante alguns anos me fez das pessoas mais infelizes, pois eu não tinha forças para parar, assim como o bêbado não consegue largar a garrafa, assim como o gordo não consegue pensar em outra coisa que não seja comida! Doenças! simplesmente doenças. E o mais doente dos seres é aquele que chega e diz com voz arrogante que tudo isso não passa de sem-vergonhisse. No seu íntimo sabe-se lá quantos desses "defeitos humanos" essa pessoa tem e esconde a sete chaves. 

Mas saibam que julgar-se melhor que os outros é parte da natureza "animalesca" do homem. Da mesma forma que os leões disputam território e querem soberania, os cachorros lutam para ver quem é o mais forte, e acredito que isso também faça parte marcante na vida dos primatas (Tmc, conto com seu posicionamento aqui hein!). Sim caros amigos, se você já se pegou julgando os seus semelhantes ([ironia] que termo mais cristão [ironia]), não se desesperem: Vocês acabam de descobrir uma atitude irracional e através do auto-esclarecimento, podem dar um salto grande para a sabedoria, e passar apenas a observar como vivemos em uma selva, como os "escrúpulos" são algo "forçado" e que a natureza do homem é inevitavelmente a luta incessante pelo poder.

P.S. Acho que alguns "machos" vão gostar muito da foto e pouco vão ler o texto. É uma versão feminina de "O Clube da Luta".