domingo, 4 de setembro de 2011

A carroça ou os cavalos?

Olá seres das sombras! Mais uma vez andei meio sumida, além do meu tempo escasso ainda houve muita turbulência em minha vida, rider of the storm... Enfim, mas estou diferente, estou mais serena, mais leve, mais calma, e até ousaria dizer mais feliz se é que acredito nisso também. Enfim, cansei de dar murro em ponta de faca, de nadar contra a correnteza e agora deixo que as pessoas no metrô praça da Sé me empurrem para dentro do tem que vai para Corinthians- Itaquera no horário de pico. Sim, estou seguindo a filosofia Zeca pagodinho e deixando a vida me levar. Realmente tentei driblar muita coisa, tentei forçar barras de ferro além das minhas forças e hoje vejo que muitas das minhas "crenças" e "convicções" me enclausuraram num buraco onde só podia ver sombras, ideia bem platônica, of course. Não que eu tenha saído do buraco, mas estou tentando sair de certa forma e até consigo sentir o cheiro da relva que cobre o chão acima de mim... Andei alucinada, delirando, ardente em febre, como se a morte andasse a me espreitar, mas acabei dando um gole no vinho dionisíaco, que aos poucos me transporta para um outro tipo de delírio, não sei se melhor não sei se pior, sei apenas que enquanto esse corpo aqui estiver, hei de viver em ilusões, em devaneios e delírios... uns ruins, outros piores, até que minha mente seja consumida pelo mais sublime verme na frialdade inorgânica da terra!

Abraços fraternos!