segunda-feira, 5 de setembro de 2011

Quero mais niilismo!

Sinto tanta falta, mas tanta falta de ser mais niilista que chega a doer. Sim, eu também crio expectativas, eu também sonho com a felicidade, eu também trabalho todos os dias para comprar coisas fúteis que nunca me preencherão e que talvez nunca usarei... enfim, estou farta de tudo isso, estou farta desses meus vícios ignóbeis... quero mergulhar cada vez mais fundo no nada, no não-ser, no não-querer, no não-existir sem precisar aniquilar meu corpo. A questão é, como aniquilar a alma, a mente e suas vontades e fantasias? Não basta apenas querer, deve existir algum "truque", alguma "fórmula secreta".

Em pensar que um dia eu tentei buscar o irreal nas periferias da realidade, em pensar que um dia tentei transformar ilusões em felicidade. Pensar que me enganei profundamente ao me declarar uma alma livre quando na verdade eu estava aprisionada em mim mesma. Pensar que há pouco acreditei em um sonho que me derrubou da cama ao acordar... como me sinto idiota.

Só espero conseguir mais uma vez entender o verdadeiro significado da dor, da angústia e da ansiedade que me mantêm presa a esse mundo colorido que pintei com as cores da minha infelicidade. Uma pintura cujo sentido é vago e confuso, uma obra de arte que não vale as tintas que gastei para compô-la, que custou tão caro que jamais hei de querer pintar um quadro novamente.

Não vale a pena, nada vale a pena.