segunda-feira, 19 de dezembro de 2011

Tempestade

Uma reviravolta extremamente difícil em minha vida nos últimos 6 meses. Perdi quase tudo que tinha, estou beirando virar um Tyler Durden, se é que já não virei sem saber. Envelheci uns 50 anos, fiquei mais burra do que antes, mais vazia, mais inerte. Se pensei um dia ter chegado ao fundo do poço, enganei-me. O poço não tem fim, cada dia um pouco mais fundo. Nem sei por que diabos ainda insisto em escrever nesse blog. Mesmo porque minha cabeça não é minha cabeça, estou completamente dopada, de remédios e de angústias.

Choro todos os dias, mas tem dia que choro sem derrubar uma única lágrima, choro por dentro. E durmo na esperança de não mais acordar; é como se minha vida agora fosse meu sono e meu despertar fosse um pesadelo horrível do qual só consigo escapar dormindo novamente. Quero que minha vida passe logo, já que sou uma fraca que não consegue morrer e morre de medo de viver. Qual saída tenho a não ser dormir?

Desempregada novamente. tentei sim me inserir novamente nessa bosta de sociedade e creia ou não, nunca cheguei nem mesmo a ser entrevistada porque reprovo nos testes psicológicos!!! Minha personalidade não bate com o que as companhias estão procurando. o que eles querem, robôs? Reprovei em uma outra tentativa por causa da minha letra, logicamente minha letra é horrível, grotesca, tipicamente a letra do tipo "nervoso" como me classificaram. Não tenho perfil: eis a frase que ouvi ecoar incessantemente durante um período em que ainda tinha esperança de retornar ao mundo cotidiano.

Aulas? Desisti. Não acredito na educação e não vou me prostituir mais do jeito como fui prostituída nas salas de aula, nos corredores da escola, nos olhares malditos dos pais modernos. Vender um trabalho que não acredito para mim é pior que prostituição. Então o que me resta?