sábado, 17 de março de 2012

Dormi muito bem essa noite graças aos meus amigos inseparáveis: Lexo e Rivo, mas nem sempre eles conseguem me derrubar tão bem assim, foi um nocaute fabuloso. Mas acordei com uma dor de cabeça terrível porque ontem passei por sentimentos estranhos: Paranóia infernal, stress, pânico. fui me deitar à tarde mas as crises começaram com tanta força que mal pude pensar em algo. deveria ter tomado remédios e esperado a crise, mas não tive a idéia de fazer isso, eu simplesmente surtei, meu coração disparou e uma ânsia, tremedeira e suor frio tomaram conta de meu corpo. Nem preciso falar o que se passou em minha cabeça. Não, não foi aquele sentimento de que iria morrer, eu nunca tenho essa sensação. Eu sinto que as pessoas estão me procurando, e nem sei quem são essas pessoas, e elas querem algo de mim e eu quero fugir. Eu penso que vou enlouquecer e vão me levar para um hospício e lá eu ficarei presa para sempre e coisas do gênero. Agora estou tão lúcida que olho para a crise que tive e não consigo imaginar que truques a mente prega em mim. É o próprio capeta. Hoje apenas quero evitar a rua e as pessoas. Só quero ficar sozinha quietinha no meu canto. Desliguei o telefone para não seu incomodada. mais tarde ligo para minha mãe pra ela não ficar preocupada. Enfim, mais uma crise brava, mais um dia perdido, mais uma vida sem esperança.