terça-feira, 2 de outubro de 2012

Retrocesso



Não sei o que vem acontecendo de uns tempos para cá, mas meu comportamento e meus pensamentos têm retrocedido a cada dia. Eu sempre fui a primeira pessoa a pregar as falhas dos seres humanos, a gritar com todo pulmão que deles não se pode esperar nada, mas, mesmo assim, ainda continuo a me decepcionar com eles. Por que será que ainda não fugi dos espinhos afiados de todos? Por que a necessidade de estar entre gentes que clamam, gritam e reiteram o tempo todo que amizade é algo importante, sendo que alguns minutos depois essas mesmas pessoas enfiam a faca nas costas da gente? Não consigo entender a minha atitude infeliz, mas entendo perfeitamente a falta de hombridade nos outros e eu a perdoo de qualquer maneira. Embora antes eu entendia e não mais me misturava. Falta de companhia? Solidão? tédio? Talvez... talvez um pouco de vontade de trocar o que mais tenho dentro de mim: ideias. 

Agora chega, definitivamente irei novamente me isolar e não mais procurar companhias que acho "agradáveis" e assim que viro as costas, mandam uma bela facada. Eu cheguei ao cúmulo do maior pecado: comprei cervejas para ter companhia, mas quando as cervejas acabaram, a amizade acabou com o último gole.

Estou muito decepcionada comigo mesma, pois sempre soube a verdade e coloquei um pano sobre ela. somente para ter companhia, somente para ser parte de uma comunidade imaginada. Fora as mentiras que falaram a meu respeito, fora as atrocidades que cometeram por aí e que fico sabendo apenas de terceiros. Como fui burra!!!! Não ingênua, mas sim, burra!